Relógio

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Tatuagens em corpos de bandidos indicam tipos de crimes cometidos. Abra os olhos com o desenho a ser feito no seu corpo.

No mundo do crime, desenhos infantis e religiosos simbolizam crimes. As tatuagens servem para que eles se reconheçam dentro dos grupos criminosos.

Nossa Senhora Aparecida representa crime de estupro. O sorridente palhaço homenageia a máfia russa. Jesus Cristo significa roubo seguido de morte. Não, não estamos profanando as práticas religiosas nem a doçura dos símbolos infantis.

Mas, no código do crime, tatuagens formam um código onde cada uma  representa o crime cometido ou mesmo uma afinidade com uma corrente criminosa.

Às vezes, o código não vem em desenhos, mas através de palavras cravadas na pele que dispensam as analogias simbólicas.

“Para todos meus inimigos carrego o sorriso da morte. Vida Loka”. Essa foi  a mensagem que Daniel Lopes das Neves, o Daniel Satã, que era líder do tráfico em Arenoso, carregava em seu corpo até ser morto pela polícia durante operação na semana passada.

A referência da frase vem do filme Batman. O “sorriso da morte” é relacionado ao gás hilariante que o vilão Coringa  jogava em seus adversários, que acabavam morrendo de tanto rir. Daniel, segundo a polícia, matou mais de 20 pessoas, mas sem gás. Foram todos com tiros.

A realidade das tatuagens dos criminosos é internacional, mas na Bahia tem algumas especificidades. Há três anos, um tenente da Polícia Militar realiza uma documentação de suspeitos de crimes que possuem tatuagens. O estudo, que já entrevistou 15 mil detidos, faz parte do trabalho de conclusão do curso de especialização em Prevenção da Violência, Promoção da Segurança e Cidadania pela Universidade Federal da Bahia (Ufba).

O professor, que prefere não ter o nome publicado antes do final da pesquisa, para não atrapalhar o projeto, conta que a tatuagem de uma índia e a de um peixe carpa têm significados específicos em terras baianas.

“A tatuagem do peixe carpa, que simboliza assaltantes, é uma imagem que aparece quase que exclusivamente nos suspeitos da Bahia. A tatuagem da índia, que no Rio de Janeiro, na década de 80, servia para identificar os traficantes que tinham autorização para transportar fuzis, hoje, na Bahia, representa praticantes de crime de assalto”, explica.


A índia significa matador de policial ou assaltante; a carpa indica assalto, enquanto o desenho de diabo indica um matador.
 
 
PesquisaO tenente, que também é professor, identificou que  apenas 60% dos presos entrevistados admitiram reconhecer o código. “Principalmente na frente de comparsas eles fingem que não sabem. Dizem que são homenagens às famílias. É um código mudo. Se eles falarem, quebrarem o código, põem em risco toda uma dinâmica”.

Na cultura criminal da Bahia, há ainda outro significado para a tatuagem de índia. “O grupo de traficante Cláudio Campanha na década de 90 começou a ser identificado com essa tatuagem. Por um tempo também diziam que quem tinha essa tatuagem odiava polícia ou tinha vontade de matar policiais”, explica Paulo Portela, coordenador do serviço de investigação da 6ª Delegacia, em Brotas.

Portela, que tem mais de duas décadas na polícia, diz que cada vez mais os criminosos usam tatuagens para criar identificação com o grupo. “Virou moda. Agora quase  todos têm tatuagens marcadas no corpo”, diz.

O professor Cezinando Vieira Paredes, no seu trabalho de conclusão do curso de especialista em Tratamento Penal e Gestão Prisional pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), em 2003, explica que a necessidade de marcar o corpo não é nova.

“Na Antiga Grécia, a tatuagem já era utilizada, assim como nas diversas populações bárbaras, sobretudo para distinguir as chefias. Na verdade, sempre tiveram algum significado para os diversos povos que habitavam o planeta”.

Ele explica que as tatuagens dos criminosos começaram nas cadeias. “Vem dos longos ócios, do tédio das prisões sem trabalho. Em sua maioria, eles  se entretêm estampando uns aos outros”, destacou.

IDENTIFICAÇÃO O coronel Antônio Jorge Ferreira Melo, que é professor e pesquisador do Programa de Gestão e Estudo de Segurança Pública, explica que as tatuagens já são globalizadas.
 
 
 
“Há sempre um dado cultural local entre as tatuagens dos bandidos, mas como agora há um intercâmbio entre os criminosos, elas estão globalizadas. Há uma disseminação dessas inscrições”, argumenta o coronel.

Melo, entretanto, ressalva que a existência da tatuagem não é condição para ser bandido. “Evidente que devem ter pessoas que usam a tatuagem sem saber os possíveis significados dela em cada segmento da sociedade”, pondera o especialista.

ARTESANAL   Nem sempre as tatuagens dos criminosos são feitas em estúdios profissionais. Segundo Paredes, em  presídios do mundo inteiro, os próprios detentos se tatuam para diferenciar a facção à qual pertencem.

“Antigamente, era a própria polícia que os tatuava. Na Inglaterra, cravavam-se as iniciais BC – Bad Character, que significa mau caráter em inglês - na pele dos condenados”, explica.

M.S., que por 13 anos tatuou presas no Conjunto Penal Feminino em Salvador, hoje está em liberdade condicional e se esforça - em vão, afinal tem 12 tatuagens espalhadas pelo corpo -  para esconder as marcas da cadeia.

“Eu riscava as outras presas com  agulha e tinta de pintar parede. Já cheguei a usar  pregos, arame e até ponta de caneta”, revela. “Hoje, uso um monte de roupa para esconder isso de mim”, conta a ex-presidiária.

Tatuador trapalhão errou nome de filho de traficanteNem só de referências aos crimes cometidos vivem os bandidos que se tatuam. Em junho de 2010, quando foi preso na Micareta de Feira de Santana, a 108 quilômetros de Salvador, Averaldo Ferreira da Silva Filho, o Averaldinho, então líder do tráfico do Calabar, revelou ao CORREIO uma estranha história de sua tatuagem no braço direito.

A paixão dele pelo filho está marcada por uma equivocada tatuagem. “Meu filho é Cauê, mas o cara que fez a tatuagem escreveu Cauâ”, lembrou. Na ocasião, ao ser questionado o que aconteceu com o tatuador atrapalhado, ele respondeu com um sorriso. “Um dia ele vai pagar por isso”.

Averaldinho começou no crime aos 16 anos, e foi preso aos 21, acusado de vários homicídios e já condenado a 9 anos de cadeia por tráfico de drogas. Ele atuava no Calabar e na Vasco da Gama.
 

domingo, 20 de janeiro de 2013

Significado das tatuagens tribais


Desde os primórdios da humanidade, as tatuagens são feitas em ambos os sexos, como uma maneira de se expressar.
Hoje em dia, boa parte das tatuagens é feita motivada pela expressão de liberdade pessoal e pela singularidade. Também existem aqueles que tatuam algo no seu corpo para se lembrar de alguma coisa marcante que aconteceu em sua vida. Outros se tatuam apenas para demonstrar seu amor por um ídolo ou pela pessoa amada.
De fato, a grande maioria das tatuagens tem a ver com as tradições que uma pessoa leva consigo: membro ou não membro de um grupo, expressão religiosa, convicções espirituais e até crenças mágicas.
Independente da razão pode-se dizer que a tatuagem é um símbolo. O que é um símbolo? Podemos definir um símbolo como “uma imagem que conta uma historia sem dizer sequer uma palavra”. Os símbolos tatuados no corpo são conhecidos para definir as paixões, as crenças e a identidade da pessoa.
Antes de sair tatuando alguma coisa no corpo que talvez fira suas crenças, talvez se pergunte de onde ela surgiu e qual é o seu significado.
Significado das tatuagens tribais
A tatuagem tribal tem história milenar. Ela foi utilizada em várias épocas e em diferentes tribos e civilizações. Em 1991, uma múmia de mais de 5.000 anos foi encontrada com 57 tatuagens tribais espalhadas pelo corpo nos Alpes austríaco/italiano.
Um pouco antes, em 1981, os restos da múmia sacerdotisa egípcia Amunet foi encontrado com tatuagens nas pernas, nos braços e embaixo do umbigo. Estima-se que ela tenha vivido entre 2160-1994 antes de Cristo.
Estes são apenas dois exemplos de diferentes continentes, em épocas um pouco distantes, onde a tatuagem tribal obviamente existiu. Porém, a tatuagem em si, deve ter nascido junto a arte rupestre, naquela época em que os homens desenhavam nas cavernas.
As civilizações: Maori, Hawaii, Borneo, Celtas, Haida e Timucua  são algumas das civilizações antigas que, ao longo do tempo, fizeram uso das tatuagens tribais. Já que tantas fizeram o uso desse tipo de tatuagem, fica difícil de chegar a somente um significado para as tatuagens tribais.
Na maioria dessas tribos, as tatuagens indicavam a posição social da pessoa. É como se fossem generais que fossem ganhando determinadas patentes por seus atos de bravura e de força. Também indicavam a riqueza, direitos familiares e o papel daquela pessoa na sociedade que viviam.
Alguns desenhos eram simples, como algumas linhas ou círculos em determinados padrões, enquanto outros eram altamente formidáveis e muito bem elaborados.
As tatuagens tribais também indicavam soberania de um homem contra o outro em uma luta. Se o oponente tivesse traços que estivessem mal feitos, que os seus, provavelmente o oponente se sentiria retraído e acuado.
Algumas tatuagens tribais eram feitas como forma de espantar mal olhado e má sorte.
Hoje você não precisa de tatuagens tribais para se mostrar superior a ninguém. Porém as tatuagens tribais tem nelas um apelo simples: causam impacto a quem vê, quem faz gosta da maneira como é encarado e reforça um sentimento positivo sobre ele.

A História da Tatuagem


Há mais de 3500 anos atrás, a tatuagem já existia como forma de expressão da personalidade ou de indivíduos de uma mesma comunidade tribal (união de pessoas com as mesmas características sociais e religiosas). Os primitivos se tatuavam para marcar os fatos da vida biológica: nascimento, puberdade, reprodução e morte. Depois, para relatar os fatos da vida social: virar guerreiro, sacerdote ou rei; casar-se, celebrar a vida, identificar os prisioneiros, pedir proteção ao imponderável, garantir a vida do espírito durante e depois do corpo.
Na era Cristã, na clandestinidade, sob o jugo do poder pagão, os primeiros cristãos se reconheciam por uma série de sinais tatuados, com cruzes, as letras IHS, o peixe, as letras gregas. Na era moderna, a tatuagem passou por vários anos de marginalidade. Ela retorna a ser questão de relevância em nossa sociedade quando surge em artistas de música, cinema, e em pessoas comuns.
Deixando de ser um símbolo de marginalidade, e sim uma forma de expressão individual de arte e estética do corpo, a tatuagem não é mais tosca como as de cadeias, e sim um desenho de traços mais finos e cores variadas.
No Brasil, o precursor da tatuagem moderna foi um cidadão dinamarquês chamado Knud Harald Lucky Gegersen, conhecido popularmente como Lucky, ou Mr. Tattoo. Chegando por aqui em 1959, Lucky se estabeleceu em Santos-SP, utilizando seu talento e suas técnicas de desenhista e pintor profissional.
Lucky teve uma participação real no mundo da tatuagem brasileira. Os tatuadores chegam a dizer que por mais imperfeita que seja a tatuagem de Lucky, ela vale muito, pois foi graças ao dinamarquês que o Brasil entrou no mapa da tatuagem moderna. Lucky foi notícia em vários jornais, e em 1975 o jornal O Globo o considerou o único tatuador profissional da América do Sul, sendo sua morte noticiada no Jornal 'A Tribuna" de Santos do dia 18 de dezembro de 1983. Por um bom tempo Lucky continuou sendo o único, até que começaram a aparecer, aos poucos, os seus seguidores, que herdaram dele as técnicas e a arte de fazer tatuagem.
Apesar de toda sua história, o conceito de origem independente se adequa a tatuagem, pois ela foi inventada várias vezes, em diferentes momentos e partes do Mundo, em todos os continentes, com maior ou menor variação de propósitos, técnicas e resultados.
Os Tipos de Tatuagem
Tradicional (tatuagem de marinheiro): São aqueles desenhos tradicionais, como uma âncora ou uma gaivota, aliás, os marinheiros foram os grandes divulgadores da tatuagem pelo mundo.
Sumi: técnica oriental que utiliza bambu ao invés de agulha. Geralmente os desenhos são ricos em detalhes.
Realista: desenhos que imitam o mundo real, como mulheres, pássaros e personalidades.
Estilizada: como o próprio nome já diz, são desenhos estilizados.
Alto relevo: muito difundida entre os índios. A pele é dissecada formando desenhos com uma infinidade de cores, praticada principalmente por aborígenes, de origem africana.
Belfaro Pigmentação: a maquiagem definitiva, como delineador, batom, etc.
Celta: desenhos de origem celta com figuras entrelaçadas. Pode ser preta ou colorida.
Tribal: desenhos em preto ou coloridos com motivos tribais. Podem ser desenhos de tribos norte-americanas, haidas, maias, incas, astecas, geométricas ou abstratas.
Oriental: trabalhos grandes, geralmente de corpo inteiro, como um painel. Os desenhos são com motivos orientais, como samurais, gueixas e dragões.
Psicodélicas: trabalhos super coloridos com desenhos totalmente senseless.
Religiosas: trabalhos com personagens bíblicos, como um santo, uma cruz, etc.
Bold line: desenhos das histórias em quadrinhos com traços bem largos e cores berrantes.
Branding: tatuagem marcada a ferro e fogo.
Como São Feitas as Tatuagens


Fonte:Google

domingo, 13 de janeiro de 2013

COMO AS TATUAGENS SÃO FEITAS

As tatuagens são feitas com agulhas descartáveis e nunca devem ser reutilizadas, mesmo que na própria pessoa. A coloração é feita com pigmentos importados. Esses pigmento tem origem mineral, principalmente.


 Para o auxílio da confecção, são utilizadas máquinas elétricas. Elas são compostas de uma ponteira de aço inox cirúrgico e/ou descartáveis. Essas ponteiras devem ser limpas por ultrassom e esterilizadas com estufa durante 3 horas, pelo menos, a uma temperatura maior ou igual a 170 ºC.


O local onde ficará a tatuagem deve ser depilado com um aparelho de barbear descartável que não deve ser reutilizado posteriormente. O tatuador deve usar luvas e máscara para procedimentos com o intuito de evitar uma possível infecções ou contaminações por doenças como bacterianas ou virais, tais como hepatite, AIDS e tuberculose, entre outras.


A limpeza do ambiente também deve ser feita cautelosamente, com o objetivo de evitar a contaminação cruzada, ou seja, a contaminação de uma ou mais pessoas por usar as mesmas agulhas. A tatuagem é uma arte fundamentada em tudo que o tatuador aprendeu durante anos. O artista deve ter, no mínimo, 5 anos de experiência para poder assumir a profissão de tatuador.
Fonte: Mundodastatuagens

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013



Mais uma Tatuagem na pele negra. A modelo da vez é Iracema Carrera





quinta-feira, 10 de janeiro de 2013



Essa Tattoo é de um amigo meu, ficou massa né?






E quem quiser mostra a sua tatuagem aqui no blog é só fotografar legal e mandar para Isabel.boop1@yahoo.com.br

Beijos e Fica Com Deus!!!